/ Fotógrafos

7 erros mais comuns de fotógrafos iniciantes na fotografia

Saiba quais são os erros mais comuns que fotógrafos iniciantes cometem e descubra como evitá-los

Quando você está aprendendo a fazer qualquer coisa, comete erros ao longo do caminho, não é mesmo. Com a fotografia não é diferente. Felizmente, aqueles que passaram anos aprendendo as manhas da fotografia já sabem que existem alguns erros comuns que os fotógrafos iniciantes costumam fazer e que podem ser facilmente evitados com um pouco de conhecimento prévio.

Portanto, separamos os sete erros técnicos mais comuns que fotógrafos iniciantes cometem, desde desfoque de imagem até composições inadequadas, e algumas dicas de como evitá-los.

1. Foco

Se você estiver usando o foco automático e deixar a câmera escolher seus pontos de foco, é provável que você focalize na parte errada do quadro da imagem. Isso é algo impossível ou difícil de se consertar após fotografado, portanto é importante concentrar-se no campo. Uma maneira simples de garantir um foco preciso é usar o modo de foco automático pontual da câmera para escolher o ponto de foco. Ao focalizar pessoas e retratos, certifique-se de que o ponto de foco esteja nos olhos da pessoa.

2. Quadro instável

Se suas fotos estão ficando borradas ou um pouco desfocadas e você não tem certeza do motivo, provavelmente é porque você está usando uma velocidade de obturador muito lenta. Quando a velocidade do obturador é muito lenta, a vibração da câmera pode reduzir a nitidez da imagem. Uma regra prática para ajudar a evitar isso é usar uma velocidade do obturador que seja pelo menos equivalente à distância focal da lente que você está usando.

Por exemplo, se você estiver usando uma lente principal de 50 mm em uma câmera full frame, a velocidade mais lenta do obturador que você pode usar sem tremer é 1/50 de segundo. Isso torna-se 1/85 de segundo em uma câmera com sensor APS-C (corte), já que a distância focal efetiva da lente é multiplicada por 0,5. Se estiver usando uma lente de zoom, você precisará prestar atenção à distância focal que está usando ao aumentar e diminuir o zoom.

Dica profissional: se sua lente ou câmera tiver estabilização de imagem, você pode fotografar de três a cinco pontos mais lento e ainda obter uma imagem nítida.

3. Exposição

Embora fotografar em RAW forneça bastante latitude para ajustar sua exposição no pós-processamento, definitivamente existem limites para o que você pode fazer. Se sua exposição for muito escura, as sombras ficarão granuladas e descoloridas quando você as trouxer para o processamento. Se sua exposição for muito clara, seus destaques serão apagados e os detalhes não serão recuperáveis durante o processamento. Se você tiver uma cena com uma alta faixa dinâmica, incluindo realces muito brilhantes e sombras escuras, uma regra geral é sub-expor um pouco para preservar os detalhes nos realces, sem eliminar as sombras e, em seguida, iluminar as sombras no pós-processamento.

Dica profissional: Use a função de medição pontual da câmera para medir diferentes partes do quadro.

4. Postura estranha

Como a maioria das pessoas com quem você trabalhará provavelmente não serão modelos profissionais, provavelmente não se sentirão muito confortáveis em posar. E, embora seja ótimo encontrar poses online e experimentá-las, as pessoas provavelmente se sentirão estranhas só de ouvir como ficar em pé, o que aparecerá em suas fotos. Sua melhor aposta é usar as poses como diretrizes básicas e, em seguida, focar em deixar seus fotografados à vontade, envolvendo-os com contato visual e brincadeiras amigáveis, enquanto os incentiva a se divertirem e serem eles mesmos.

Dica profissional: Use um tripé para compor sua imagem, assim você pode fazer contato visual e conversar livremente com seus fotografados.

5. A árvore que cresce a partir das cabeças

Uma maneira fácil de arruinar um bom retrato é ter um objeto vertical, como uma árvore ou poste telefônico, espetado para fora da cabeça da pessoa. Embora você provavelmente focalize a maior parte de sua atenção na pose e na aparência do objeto, é fundamental prestar atenção também ao fundo e certificar-se de que não haja elementos de distração surgindo ou cortando o objeto, mesmo que sejam muito fora de foco.

Dica profissional: faça uma varredura visual rápida de todo o quadro da imagem no visor para procurar objetos que distraem e que estão “cutucando as cabeças dos fotografados”.

6. Composição confusa

Descobrir como organizar os elementos no enquadramento da câmera pode levar algum tempo. Quando você não sabe o que está fazendo, é fácil criar uma composição para o café da manhã de um cachorro que fará com que o visualizador fique completamente perdido e confuso ao olhar para a sua foto. Felizmente, existem algumas diretrizes muito simples que podem ajudá-lo a gerenciar e organizar os elementos em seu quadro com base na percepção humana, como a regra dos terços.

Dica profissional: muitas vezes você pode cortar retratos na regra dos terços usando a sobreposição de grade no processamento.

7. Falha no backup do arquivo

Um dos perigos da fotografia digital é o potencial de falha da tecnologia, e isso inclui o disco rígido no qual você armazena seus arquivos de imagem. Se você tiver apenas uma cópia de seus arquivos armazenada e a unidade onde eles estão arquivados falhar, lá se vão todos as suas fotos e trabalhos. Isso pode causar muita decepção para você e seus clientes. Portanto, certifique-se de ter uma segunda cópia de suas imagens armazenadas em algum lugar, em um disco rígido externo ou serviço de armazenamento em nuvem.

Dica profissional: o armazenamento em nuvem e os discos rígidos externos estão se tornando cada vez mais acessíveis, então por que não manter dois backups apenas para sua tranquilidade?

Você é fotógrafo? Então que tal se juntar à maior rede de profissionais do Brasil e começar a ganhar muito mais com seus trabalhos fotográficos? Venha fazer parte do FOTOP. Clique aqui e se cadastre agora mesmo.

Fotop

Fotop

Plataforma que ajuda o fotógrafo a vender suas fotos, possibilitando que ele viva de seus clicks.

Read More