/ Fotógrafos

Como usar pontos de fuga na fotografia

O ponto de fuga é uma ferramenta poderosa de composição. Não pode ser usado em todas as fotos, mas é essencial entender quando a oportunidade se apresentar. Nem toda cena tem um ponto de fuga e, às vezes, o fotógrafo precisa fazer um esforço especial para usar o que está lá

Um ponto de fuga é parte da perspectiva linear encontrada em muitas fotos. Como as fotos são objetos bidimensionais, nossos olhos usam pequenas pistas para tentar nos orientar. Quando nos aproximamos de uma fotografia ou obra de arte que nunca vimos antes, nosso cérebro tenta percebê-la usando referências que conhece da natureza.

Uma das primeiras coisas para as quais nossos olhos gravitam são as linhas. As linhas principais, em particular, são úteis para entender como uma foto representa um espaço. Se as linhas são paralelas, nossos cérebros sabem que irão parecer convergir à distância. Juntas, as linhas convergentes apontam para o ponto de fuga.

É importante observar que as linhas que levam ao ponto não precisam ser completas. O ponto está frequentemente implícito. Não é tanto um item específico na fotografia, mas uma área na fotografia. Você sempre pode apontar para ele, mas geralmente não há nada lá. Parece que todas as linhas emanam deste único ponto. Outra maneira de olhar para isso: todas as estradas e caminhos na imagem levam até lá.

Os pontos de fuga são ferramentas úteis que podem ajudar os fotógrafos a adicionar um senso de escala ou até mesmo distorcer a realidade. Eles ajudam a adicionar profundidade às composições que de outra forma seriam planas e atraíram o interesse do espectador. Quando usados corretamente, eles podem transformar uma cena mundana em uma história épica.

Encontre as linhas principais primeiro

Embora o ponto focal da imagem seja o que você procura, o ponto de desaparecimento não existe no vácuo. Algo na imagem deve apontar para isso. Na maioria das vezes, essa coisa é uma ou mais linhas principais.

As linhas principais são linhas que o espectador sabe que são paralelas às suas experiências no mundo tridimensional. Se eles olhassem e estudassem a foto bidimensional, poderiam pensar que essas linhas convergem na distância. Mas todos sabem que as linhas paralelas parecem convergir dependendo do ângulo de onde são vistas. Mesmo sem pensar nisso, todo mundo é um mestre em interpretar a perspectiva linear.

Mas é aqui que a habilidade do fotógrafo pode desempenhar um grande papel. Ao entender como o público verá e perceberá a imagem, o fotógrafo pode chamar a atenção para as partes essenciais da foto. É precisamente por isso que as linhas principais e o ponto em que se encontram é tão importante de entender. Se você puder controlar e posicionar esses elementos de maneira significativa, poderá transformar instantaneamente sua fotografia.

Enfatize o efeito

Depois de saber onde procurar o ponto e as linhas, o próximo passo é perguntar a si mesmo como você pode enfatizá-los. Na maioria das vezes, isso é feito brincando com a composição. Você pode mover o enquadramento e tentar diferentes posicionamentos do ponto de fuga. Você pode tentar incluir mais ou menos linhas principais. Você pode testar sua imagem com um modelo à distância ou em primeiro plano.

Desaparecimento Vertical

Às vezes, todos nós nos encontramos em uma rotina. Na próxima vez que você quiser renovar seu processo criativo, tente virar a câmera de lado. Esta simples mudança nos requisitos de enquadramento força você a ampliar um pouco seu campo de visão e reorganizar todas as coisas importantes. Mesmo que você saiba que deseja uma foto orientada para a paisagem, no final, ainda é uma excelente maneira de ajudá-lo a localizar coisas que você pode ter perdido na cena.

Alguns fotógrafos gostam mais de fotografar assim quando são apresentados a imagem de ponto de desaparecimento perfeita. Fotografar verticalmente oferece mais espaço no quadro para investir na construção das linhas. Quanto mais longas as linhas principais no quadro, mais poderosas elas são.

Experimente diferentes guias de composição

Existem muitas dicas e truques que os fotógrafos usam ao longo da vida para ajudá-los a obter fotos excelentes e confiáveis. Uma das primeiras dicas de composição que os fotógrafos aprendem é a Regra dos Terços. Ela divide o quadro em nove setores, usando duas linhas verticais e duas linhas horizontais. As interseções das linhas resultantes dão ao fotógrafo uma ideia de onde colocar os elementos importantes.

Tanto as linhas quanto as interseções são pontos essenciais na fotografia. Ter o horizonte na terceira linha superior ou na terceira linha inferior é mais atraente visualmente do que tê-lo bem no meio do quadro. Para um retrato, ter o assunto centralizado em uma das linhas de um terço cria uma imagem mais atraente do que se eles estivessem centralizados.

A regra dos terços funciona porque ajuda o fotógrafo a visualizar como seus espectadores irão perceber a foto. A última coisa que um fotógrafo deseja é criar uma imagem estática em que o assunto seja centralizado e os olhos do observador fixem-se imediatamente em um ponto. Como fotógrafos, queremos levar nosso público a uma jornada pela cena.

Para aplicar a regra dos terços aos pontos de fuga, lembre-se de que o ponto não precisa estar no centro da foto. Tente colocar seu ponto em uma das interseções da terceira linha. Não centralize o horizonte, em vez disso, tente colocá-lo perto de uma das linhas horizontais.

Outra grande ferramenta composicional é a Regra de Ouro. Esse padrão é baseado na famosa Sequência de Fibonacci, um padrão matemático repetitivo encontrado na natureza. Imagine uma espiral que começa na borda da foto e fica progressivamente menor em direção a um ponto focal.

A Espiral Dourada é especialmente útil na fotografia de ponto de fuga, pois também se concentra em um ponto distante. Não se prenda à matemática da espiral. A ideia geral é suficiente para você começar.

Use uma lente grande angular

A fotografia de ponto de fuga funciona bem em imagens de grande angular. A distorção de imagem presente em todas as lentes grande-angulares ajuda a torná-las mais presentes. Muitas lentes acentuam o efeito nas bordas da armação. Isso pode não parecer uma grande coisa, mas se o que você está fazendo é tentar fazer uso de pontos de desaparecimento e linhas principais, então ele faz um trabalho fantástico.

Foco e profundidade de campo

Esses dois controles e configurações da câmera são vitais para o sucesso desse tipo de foto. Uma profundidade de campo rasa não vai funcionar aqui. Da mesma forma, se você focar no lugar errado, mesmo uma ampla profundidade de campo pode resultar em algumas áreas mais suaves do que você gostaria.

O ponto em que você focaliza sua imagem vai depender exatamente de como você a compõe. Se houver um foco óbvio, como uma pessoa, é aí que você se concentrará. Mas se for uma vista panorâmica com um foco amplo, é mais como fotografar uma grande paisagem. Defina a profundidade de campo tão ampla quanto sua câmera e as condições de iluminação permitirem. Tente pelo menos f/11 ou f/16.

Quer trabalhar na área fotográfica e ainda contar com o apoio de uma rede de profissionais?

Então junte-se ao Fotop agora mesmo e descubra de uma vez por todas como trabalhar com fotografia pode ser rentável. Clique aqui e saiba mais! Não se esqueça de seguir também os nossos perfis no Instagram:
Fotop Fotografo | Fotop

Fotop

Fotop

Plataforma que ajuda o fotógrafo a vender suas fotos, possibilitando que ele viva de seus clicks.

Read More